Epigenética: Passo 1 do Autismo

passo1AutismoV

Nesta semana do autismo em 2019, Dra. Tielle Machado nos presenteou com lives falando de seus estudos sobre o Autismo. Nós do Neuroganho somos fãs do trabalho dela e comungamos dos mesmos entendimentos sobre como o Autismo deve ser abordado.

Assim, uma vez que o conteúdo foi muito significativo, mas a live não está mais disponível para ser assistida, tomamos a liberdade de compartilhar este breve resumo que fizemos de cada um dos passos:

Passos para desvendar o quebra-cabeças não só do autismo, mas também de outras síndromes que tem comprometimentos neurológicos:

Passo 1: Genética é importante mas epigenética é mais importante!

O que é epigenética?

Epigenética é a possibilidade de “ligar” ou “desligar” um gene através de intervenções ambientais: A alimentação, a exposição à poluição, o uso de drogas, a prática de exercícios, dentre outros fatores ambientais podem servir para alterar algumas funções dos genes, deixando “marcas epigenéticas”.

Exemplo prático: Alguém que não tem diabetes na família, se comer só carboidratos, pode ficar diabético. Da mesma forma, um diabético que fizer a dieta com restrição de carboidratos, cetogenica, lowcarb ou alguma outra pode ter muitos ganhos até baixar sua glicose.

Alterações na dieta funcionam em muitos casos de pessoas com autismo e outras síndromes que tem comprometimento neurológico. Cortando alguns alimentos, a melhora é perceptível.

Aqui aproveitamos para agregar os conhecimentos dos Institutos Véras, responsáveis no Brasil pela avaliação das crianças e jovens, e prescrição do programa de organização neurológica. Pelo programa de organização neurológica, estas intervenções incluem retirar da alimentação tudo que inflama o cérebro: glutamato, adoçantes artificiais, corantes artificiais, aromatizantes artificiais, conservantes artificiais, etc

Aqui também aproveito para agregar outros conhecimentos da medicina ortomolecular / integrativa: substituir panelas de alumínio para quem tem elevação de alumínio,  observar se há ingestão de chumbo, arsênico, formaldeído e todos os outros químicos neurotóxicos. Se possível suspender produtos OGM e com agrotóxicos.

Estes pontos são tão importantes que retornam no passo 4: no controle da neuro-inflamação.

Aqui faço uma homenagem aos pais, mães e familiares de crianças e jovens com autismo e outros comprometimentos neurológicos. Seu trabalho de detetive para juntar as peças do quebra-cabeças é fundamental para o sucesso do desenvolvimento de sua criança.

Nas próximas postagens abordaremos cada um dos passos seguintes para ganho de qualidade de vida das pessoas com autismo e seus familiares.

Lembramos que qualquer intervenção  nutricional deve ser acompanhada por profissional habilitado responsável. Esta postagem é apenas informativa e não substitui qualquer tratamento, aconselhamento ou acompanhamento por profissional qualificado. Procure seu profissional de confiança.

 

Anúncios

Dia do Autismo

fundoFloralrNGazNG

Hoje é o dia do Autismo, TEA. Já escureceu e eu ainda não consegui colocar meus sentimentos nesta postagem, pois ainda tem muito emoção misturada.

Quando meu filho nasceu, eu estava chegando em Paris (em referência a um vídeo circulando na internet que fala que no autismo, os pais compram uma viagem para Paris e chegam na África).

Bom, eu cheguei em Paris, eu achava meu filho lindo, as amigas falavam do quanto ele era “perfeitinho”. A vida em Paris era maravilhosa, amigos conosco em Paris, e também familiares.

De repente fomos abduzidos e quando nos demos conta, estávamos na Antártida, parecia que um tornado havia nos raptado e deixado neste continente gelado. Em poucas horas, meu filho desapareceu, para nunca mais voltar. Neste momento lutávamos pela vida dele, que parecia sumir por entre meus dedos.

Após o risco de morte ser afastado, já em início de recuperação, um famoso neurologista sentenciou: “nunca vai falar, nem ler, nem escrever “.

Acabou. Familiares não o queriam por perto, avós falavam que estavam muito ocupadas, tios desapareceram, e aos poucos os amigos também…

Eu o levava a várias terapias, mas os progressos não vinham…

Até que depois de 6 anos e meio morando na Antártida, resolvi eu mesma colocar mãos a obra e estimular meu filho. Foi a melhor coisa que fiz na vida, agora eu e ele dormíamos  exaustos pelas atividades realizadas, o que era muito melhor do que passar as noites em claro com ele agitado sem dormir e eu sem saber o que seria do futuro dele. Dou graças à Deus todos os dias, por esta minha escolha, e pelas gigantescas pequenas vitórias que vieram de nosso esforço!

Tivemos vários progressos, talvez tenhamos alcançado a Patagônia, mas os avós e tios já partiram… A vida na Antártida e na Patagônia ainda é muito solitária. Eu gostaria muito que em 1995 já existisse este dia de conscientização. Talvez fosse mais fácil para os familiares, amigos e para nós.

Ele tem 23 anos hoje (2019), terminou o fundamental, navega muito bem na internet no computador, lê, digita buscas, ajuda em casa, com as compras, arruma a despensa, mas é muito menos do que sonhei para ele. As crises praticamente acabaram, assim como seletividade alimentar e noites em claro ficaram no passado. Frequentamos todos os lugares públicos com ele, desde praças, clube, cinema, shopping, corrida de rua, etc…

Fazemos o programa de organização neurológica há 17 anos, dieta há 3 anos e meio, iniciando o detox homeopático, e retomando o tratamento com óleos essenciais.

Eu amo muito meu filho, como ele é carinhoso, amoroso, compreensivo, solícito, colaborativo, cuidadoso, não existem adjetivos suficientes para expressar o amor, carinho e a admiração que tenho por ele assim como amo meu filho típico.

Mas a vida na Patagônia é como na Antártida, fria e agreste, me perdoem, mas ainda não consigo comemorar este dia.

Gostou de meu desabafo? Me mande um email, mesmo que não tenha gostado ou comente abaixo.

 

 

O desenvolvimento neurológico

Foto por Negative Space em Pexels.com

No passado acreditava-se que o desenvolvimento cerebral era predestinado e inalterável, determinado pela genética. Pais inteligentes teriam filhos inteligentes, mesmo que estes filhos fossem adotados. Assim se descobriu a importância do ambiente para estimulação do desenvolvimento da criança. 

Felizmente hoje já está documentado a existência da formação de novas conexões no cérebro formadas a partir de estimulação. Isso se chama neuroplasticidade e que este desenvolvimento de novas conexões é estimulado pelo ambiente em que a criança vive.

O Perfil de desenvolvimento humano detalha a etapas para o desenvolvimento neurológico humano, sensorial e motor, e define estágios em relação às áreas do cérebro que estão sendo desenvolvidas em cada etapa.

A evolução destes estágios em relação ao tempo é variável e dependente, de cada criança, como também não só de fatores genéticos, mas sim da freqüência, intensidade e duração dos estímulos enviados ao cérebro pelo meio ambiente da criança. No programa de desenvolvimento neurológico é vital a participação da família, para fazer acontecer o que ainda não está acontecendo no cérebro destas crianças. 

Nas pesquisas dos Institutos, verificou-se que todos os recém nascidos percorriam o mesmo caminho para o desenvolvimento humano.
Pesquisadores então olharam para crianças com desenvolvimento atípico e com o cérebro comprometido e perceberam que todas as crianças iam até um ponto do desenvolvimento normal e paravam, outras regrediam ou não conseguiam atingir este desenvolvimento, nem ultrapassar determinados pontos.

Concluíram que para haver um desenvolvimento normal era necessário o desenvolvimento de seis funções básicas: três motoras (mobilidade, linguagem e capacidade manual) e três sensoriais (capacidade visual, auditiva e tátil). Estas são funções cerebrais e passam por sete níveis de desenvolvimento distintos.
A partir da observação da escala de evolução das espécies em cada função, foi possível ver que cada animal possui uma determinada estrutura cerebral que lhes permite desempenhar essas funções até um determinado nível. Conforme os animais cresciam na escala de evolução, cresciam, também, as funções humanas até o ponto onde se diferem as funções puramente humanas: as funções corticais (início cognição).

Avaliando todas as funções cerebrais em seus diferentes níveis, comparado com as faixas etárias onde se encontram, obtém-se o nível do desenvolvimento humano (idade neurológica) de cada uma destas funções. 

É aí que os estímulos são direcionados. Verificar em cada criança onde houve a interrupção do desenvolvimento e oferecer os estímulos específicos para que este desenvolvimento possa ocorrer, alcançando cada um destes estágios do desenvolvimento humano.
Como uma área estimulada ajuda o desenvolvimento das outras áreas, os estímulos do programa são feitos nas 5 áreas sensoriais, além de estímulos motores, vestibulares e cognitivos.

Noites de sono reparador

close up photography of woman sleeping
Foto por bruce mars em Pexels.com

Este costuma ser um desejo de mães e pais de autistas. Só que a realidade é muito diferente. Muitas crianças autistas passam noites em claro, e suas valorosas mães e pais juntos, vigilantes.

Os pais tem razão ao desejarem esta noite de sono reparador para todos. Segundo dr. Lair Ribeiro, uma noite de sono reparador seria o mais importante para termos saúde e qualidade de vida.

Só que os pobres pais no dia seguinte, após passarem a noite em claro com sua criança,  precisam de trabalhar, tem uma vida cheia de compromissos e seu rendimento fica comprometido por não conseguir dormir. Da mesma forma, a criança tem seu desempenho em terapias, e atividades escolares comprometido, podendo comprometer até mesmo a capacidade de aprendizado e de reter informações, uma vez que é durante o sono que o aprendizado é gravado no cérebro.

Antigamente se achava que a inteligência era um dom de nascença, que se herdava dos pais. Na realidade filhos de pais inteligentes são mais inteligentes, mesmo quando o filho é adotado. Assim se descobriu que o ambiente é responsável pelo desenvolvimento da inteligência, conforme o professor Pierluigi Piazzi.

Também o autismo dizem ter causa genética, em 25% dos casos, logo, em 75% dos casos, a causa é ambiental, assim, ao melhorarmos o ambiente, melhoramos não só qualidade de vida das crianças como também da família.

Então vamos à algumas medida práticas que podem começar desde já a fazer diferença na sua vida e de sua criança:

– Luzes: precisam ser apagadas no horário de dormir, até mesmo aquelas de standby. A Melatonina é um hormônio que só é secretado pela pineal na ausência de luz. Ela faz a regulação do relógio biológico, fazendo que tenhamos sono à noite e disposição pela manhã. Usar dispositivos, telinhas ou telões à noite é um dos grandes responsáveis pelas noites mal dormidas. Não adianta ficar com a tv acesa.

Suplementar melatonina pode ajudar apenas na fase inicial do sono, mas a criança pode acordar pouco tempo depois. O uso de hipnóticos ou remédios para dormir, reduz a qualidade do sono e as pessoas acabam acordando mais cansadas no dia seguinte, não conseguindo o desejado sono reparador.

Soneca à tarde? No máximo 30 minutos, senão vamos ter mais noites em claro, afinal quem dorme durante o dia fica acordado à noite.

Alimentação: é uma das grandes chaves para ganho de qualidade de vida em TEA, SD e TDAH.

Algumas pessoas que dizem que não há evidências científicas sobre o impacto da retirada do glúten e da caseína em autistas, se baseiam em estudos que foram feitos por 6 ou 8 semanas que não são suficientes para apresentar resultados significativos, além do que a reintrodução do alimento anula completamente os ganhos. Que tal experimentar com acompanhamento de um nutricionista? Os resultados podem surpreender.

Existem produtos alimentícios, que são vendidos geralmente em supermercados, manipulados pela indústria alimentícia e que não são alimentos.  Estes produtos que vem em saquinhos, caixas e que contém vários ingredientes, como glutamato, realçadores de sabor, adoçantes, corantes artificiais, aromatizantes artificiais, conservantes artificiais, são venenos para nossos filhos. Corte imediatamente da sua casa, vai ser ótimo para todos. Eles inflamam o cérebro tornando a criança ansiosa, agitada e agressiva. Prefira alimentos de verdade, comprados em sacolões.

– Exercícios físicos são fundamentais, caminhe com sua criança em uma praça, parque ou lugar aberto durante o dia. Correr melhor ainda, qualquer coisa que gaste energia antes de escurecer.

– Escureceu? Apague todas as luzes, inclusive aquelas de Standby dos aparelhos. Pode colocar no máximo uma musica instrumental, relaxante de fundo, no escuro, bem baixinha, tipo aquelas de meditação ou que estimulem o relaxamento e acalmam.

Uma ótima noite de sono reparador para todos.

Abaixo bibliografia de referência sobre este assunto. Comprando estes livros pelos links abaixo você ajuda o desenvolvimento da plataforma Neuroganho.

Para você e seu filho que já estão tendo boas noites de sono reparador, oferecemos a plataforma Neuroganho para  ensino de leitura e matemática para crianças e jovens típicos e atípicos, leia nosso artigo sobre o método Doman:

Como ensinar seu bebê a ler, sobre o livro de Glenn Doman etapa 1: palavras simples

Gostou? Curta, comente e compartilhe, ajude-nos a trazer mais qualidade de vida para mães, pais e suas crianças.

Como ensinar seu bebê a ler, sobre o livro de Glenn Doman etapa 1: palavras simples

adult baby book boy
Foto por Rene Asmussen em Pexels.com

Este livro de Glenn Doman já foi traduzido para mais de 18 línguas, sendo sua primeira edição em 1964 e já teve mais de 4 milhões de exemplares vendidos em todo o mundo, tem orientado pais de todos os cantos do planeta a ensinarem seus filhos em casa, dando-lhes a importante dádiva da alfabetização. De lá para cá, novas edições surgiram e trouxeram os testemunhos e aprendizados com centenas de milhares de pais que reportaram sua experiência, descrevendo suas vitórias.

Doman escreveu este livro para mães e pais, apresentado sua revolucionária idéia, que bebês e crianças são muito, muito inteligentes, e que devemos parar de desperdiçar os anos mais importantes deles, estimulando-os a aprender.

E como é fácil ensinar uma criança pequena a ler, e quanto mais nova, mais fácil é, e quanto benefício isso trás para a vida dessa criança.

Glenn Doman tem uma bibliografia incrível, seus estudos contribuem de forma dramática para o entendimento do desenvolvimento humano, e que será tema de próxima postagem no blog, sobre como ele ajuda crianças não típicas. Seus trabalhos incluem além de como ensinar seu bebê a ler, como ensinar matemática, como ensinar conhecimentos, como ter ótimo desenvolvimento físico, como ensinar a nadar, e vários outros.

O processo de uma mãe ensinar seu filho deve ser alegre, agradável e divertido para ambos, e posso afirmar que é. Fiz com meus dois filhos, um típico e um autista, e para ambos foi maravilhoso. Porque? Porque para os dois fez completa diferença na vida deles. Dar a eles a oportunidade de desenvolver o potencial humano que eles tem, é um presente que ninguém vai conseguir tirar deles.

Para meu filho típico que começou a ler aos 2 anos, trouxe fluência, entendimento do mundo que o rodeia, dos símbolos, das palavras, das frases. Ele nunca teve problemas na escola, afinal quem tem problemas, quem sabe ler ou quem não sabe?

Para meu filho autista então foi espetacular! A leitura trouxe para ele a fala, o melhor entendimento do mundo, de suas regras, a habilidade de se localizar através dos nomes das ruas, praças, avenidas, cidades… Como este não é o tema deste post, deixo para uma próxima postagem.

Os pontos mais importantes para começar a praticar são:

Crianças aprendem muito rápido, tenha um estoque de pelo menos 200 palavras prontas antes de começar, porque o ritmo de aprendizado de seu filho com certeza será muito maior do que sua capacidade de produzir o material.

Quanto mais nova for sua criança, maiores devem ser as letras. para crianças próximas de 1 ano, cada cartão com cada palavra deve ter 60 cm de comprimento por 10 cm de altura e a palavra escrita em letras vermelhas dentro deste cartão com a altura de 7 cm. Sempre escreva palavras em letras minúsculas, e os nomes com apenas a  inicial em maiúsculas.

  • Comece o quanto antes, quanto mais nova sua criança, mais fácil e rapidamente ela aprende.
  • Sempre execute o programa quando você e ela estiverem bem dispostas, alimentadas, hidratadas, descansadas. Se em algum momento alguém ficar indisposto, melhor suspender a execução daquele dia e retomar quando todos estiverem bem.
  • Sempre pare antes que a criança queira parar. É muito importante ela desejar pela próxima sessão de leitura.
  • Apresente materiais novos com frequência.
  • Faça um programa consistente e tenha sempre materiais prontos.
  • Nunca teste sua criança. Deixe que ela te mostre com alegria tudo que ela já aprendeu.

O sinal de alerta é o tédio. Nunca entedie sua criança. Eles são muito inteligentes, aprendem rápido, não repita materiais por não ter materiais novos para mostrar ou nunca se demore muito para apresentar cada palavra.

Também nunca recompense com balas, doces ou brinquedos. Ao término de cada sessão diga o quanto sua criança é inteligente e o quanto você a admira.

O caminho para a leitura é simples e delicioso, composto de 5 etapas:

  • Palavras Simples
  • Pares de palavras
  • Frases
  • Sentenças
  • Livros

Antes de passar das palavras simples para a etapa seguinte que é pares de palavras, tenha a certeza de que você tenha apresentado quantidade suficientes de palavras para que possa começar as combinações isto deve envolver pelo menos umas 300 palavras. Ao apresentar as palavras simples, escolha palavras que vão compor o par de palavras: dois substantivos. Esta etapa de pares de palavras é importante para formar a base para as frases em que a criança vai adicionando significado à palavra.

Ex: ensinar a categoria de cores, permite depois formar pares como: morango vermelho, abóbora amarela, uva roxa, etc.

As etapas seguintes são mais sofisticadas e serão explicadas em post à parte.

Como isso é feito?

As palavras devem ser separadas em categorias, isso além de ajudar na organização do material, ajuda no desenvolvimento do raciocínio lógico da criança.

Sempre são apresentadas 5 palavras por vez, de uma mesma categoria. Cada palavra simples deve ficar entre 1  segundos no máximo. Estas palavras são repetidas três vezes ao dia.

A cada dia inclua uma nova categoria até o 5o dia, ficaremos com 5 jogos de palavras por dia. Do sexto dia em diante, comece a substituir palavras dentro de cada jogo de palavras.

Resumindo:

  • Conteúdo diário: 5 jogos de palavras (5 categorias)
  • Cada sessão: 1 jogo de palavras por vez
  • Frequência:  Cada jogo, três vezes ao dia
  • Intensidade: comece com palavras com 7 cm de altura
  • Duração: 1 segundo cada palavra, total de cada sessão 5 segundos.
  • Novas palavras: 1 palavra nova por dia em cada jogo de palavra após o 5o dia de cada jogo, aposentando 1 palavra antiga.
  •  Vida útil de cada palavra após o 5 dia da sessão: 15 sessões
  • Regra de ouro: Pare antes que a criança queira parar.

A execução deste programa de leitura, de como começar e como fazer cada sessão está  detalhado em: www.neuroganho.com.br

Para você que quer começar imediatamente e tem pouco tempo para produzir o material, nós oferecemos a plataforma Neuroganho. Milhares de palavras já cadastradas, com todas as características de tamanho, e duração de cada apresentação: duração de cada palavra, tempo e cor da palavra. Tudo isso  disponível para você executar de imediato em seu monitor ou sua smartTV, com telas à partir de 29 polegadas e aceso à internet.

Tudo que você fizer com sua criança fica armazenado na plataforma disponível para consulta, para rever e com orientações de execução do programa. www.neuroganho.com.br 

Até disso, estamos implementando o questionário de acompanhamento de desenvolvimento para você acompanhar como está o desenvolvimento geral de sua criança, suas conquistas a cada 3 meses, porque este, segundo as novas descobertas das neurociências é o tempo que demora para que a neuroplasticidade possa acontecer.

 

Você pode comprar a mais nova edição do livro “Como ensinar seu bebê a ler” revisada e atualizada por este link, e vai ajudar os Institutos IAHP de Philadelphia, criadores do método e o projeto Neuroganho a implementar mais funcionalidades na plataforma.

 

Crianças adoram aprender!

Crianças adoram aprender! Elas gostam mais de aprender do que comer ou qualquer outra coisa. Aprender pode e deve ser muito divertido, um momento lúdico entre pais e filhos, ou então com avós, padrinho, madrinha, tios, é sempre uma maravilhosa aventura.

Finalmente estamos lançando nossa ferramenta!!! Para mães, pais, avós, madrinhas, padrinhos, tios, tias, todos que tem por perto uma criança que está ávida por aprender mais e mais.

Em nossas buscas de tornar mais fácil esta incrível jornada, conhecemos o Método Doman, que defensor da estimulação precoce em seus Institutos IAHP de Philadelphia, EUA, fez esta descoberta e desenvolveu com sua equipe e mães esta suave maneira de ensinar as crianças, com rápidas sessões, repetidas 3 vezes ao longo do dia, consolida-se uma  base para que cada criança possa despertar para o mundo da leitura, matemática e conhecimentos, fornecendo a oportunidade de desenvolver seus dons, talentos e habilidades.

Defensor da estimulação precoce, Doman afirmava que o desenvolvimento humano é fruto da oportunidade de percorrer um caminho feito inicialmente de estímulos sensoriais e depois os motores, assim como é o desenvolvimento de todo bebê humano.

Fazendo um rápido resumo:

Os bebês escutam (audição) a voz de sua mãe e as batidas de seu coração desde o ventre. Quando nascem, começam a receber estímulos visuais (claro e escuro) que culminam com o desenvolvimento da visão. Os sons ficam mais altos e claros. Começam os estímulos de paladar (ao iniciar a amamentação ou dieta oral), acompanhado de olfato (cheiros da mãe e do ambiente), além do tato (calor, frio, molhado, seco, roupas, texturas etc) .

Depois começa o desenvolvimento motor: soltar, pegar, agarrar, sustentar pescoço, o tronco, rastejar, engatinhar culminando no caminhar na posição bípede e correr.

Nós somos pais que aplicam o método Doman, fãs do método pelos resultados que vemos em nossos filhos e estamos empenhados desde 2017 em criar esta ferramenta que vai facilitar a execução dos programas de estimulação do método Doman, começando pelos programas de inteligência: Leitura, Matemática e Conhecimentos no primeiro momento, e com a firme intenção de em breve colocar também os programas de visão e de audição.

Em seguida pretendemos incluir também o programa motor: programa de chão, equilíbrio e mobilidade propriamente ditos, com a ajuda de dispositivos que vão além de estimular as crianças, também registrar tudo o que foi feito por elas.

Desejamos ter isso pronto e funcionando em breve.

Para que o programa tenha ótimos resultados, é recomendado apresentar para os bebês e crianças 5 palavras juntas, que tenham afinidade, esta afinidade são chamadas de categorias. Isso facilita o rápido entendimento por parte dos pequenos. Estas 5 palavras devem ser apresentadas 3 vezes por dia, sempre em ordem diferente da anterior.

Assim sempre começamos com os nomes próprios: da criança e das pessoas da família, e nos dias seguintes vamos incluir novas categorias até chegar em 3 categorias por dia, sempre repetidas 3 vezes por dia. A partir do 5o. dia de cada categoria, uma palavra nova entra, e uma palavra antiga sai, mantendo a curiosidade e o ritmo de aprendizagem. Muitas vezes eles querem mais e mais, e ficamos ansiosos para oferecer, mas sempre é bom respeitar estes limites de forma a manter a curiosidade e interesse das crianças.

Hoje já estamos atendendo as demandas dos pais com os seguintes programas de inteligência: Leitura (palavras simples) e Matemática Instantânea.

No programa de leitura já temos disponível mais de 1750 palavras separadas em mais de 50 categorias (que continuam aumentando) da seguinte forma:

Nomes próprios (mais de 130), adjetivos (mais de 50), ações (mais de 35), alimentos (mais de 80), animais (mais de 120), bebidas, caminhos, carros (mais de 30), casa (mais de 45), coisas que tem em casa separadas pelos ambientes: banheiro (mais de 25), cozinha (mais de 60), sala (10), quarto (mais de 50),  cores (20), dias da semana (7), educação (bom dia, por favor… 20), escola (mais de 40), família parentesco (20), flores (50), frutas (mais de 40), higiene  (mais de 20), meses do ano (12), natureza (mais de 65), partes do corpo (mais de 70), tempo (mais de 10), transporte (mais de 20), vestimentas (mais de 55), e continuamos aumentando!

Para os que já estão mais avançados na Leitura temos categorias mais sofisticadas: adjetivos pátrios (26),  estados do Brasil (26), capitais dos estados (26), cidades de minas gerais (mais de 55), coletivos (mais de 23), Constelações (mais de 75), Continentes (5), cosmos (mais de 15), estilos gramaticais (23), estilos literários (10),  geometria (mais de 10), informática (12), instrumentos musicais (mais de 40), obra (15), países do mundo separados pelos respectivos continentes (mais de 170),  pedras preciosas (mais de 20), pontos cardeais (10), signos (12), e continuamos aumentando!

Para o programa de matemática instantânea, começamos ensinando as quantidades, base de todo o entendimento da matemática (temos até  70 cadastrado) para progredir em seguida para operações de adição, subtração, multiplicação e divisão, culminando em equações.  Também como o programa de leitura, são apresentadas 5 quantidades no dia, repetidas 3 vezes ao dia, sendo à partir do sexto dia, incluída uma nova quantidade maior e excluída a menor.

Como não temos investidores, nem subvenção, ou nenhuma outra espécie de apoio, optamos por nos auto-financiarmos através da venda de assinaturas trimestrais onde os pais compram acesso e podem em suas próprias casas estimular o desenvolvimento intelectual de seus filhos.

Conheça mais do projeto Neuroganho em neuroganho.com

Nossa Loja, para assinar o programa de Leitura e/ou Matemática.

Neuroganho inclusivo para crianças e jovens com comprometimentos neurológicos associados ao autismo, TEA, TDA, TDAH, Síndrome de Down: Neuroganho

 

Questionário ATEC: Estudos confirmam a validade

architecture-3357028_1920

Agora em 2018 tivemos uma ótima notícia! O questionário ATEC, desenvolvido há duas décadas atrás e  preenchido pelos próprios pais para avaliar o desenvolvimento das crianças foi considerado válido em um estudo conjunto de:

1Boston University, One Silber Way, Boston, MA 02215, USA

2ImagiRation LLC, 9 Michael Rd, Boston, MA 02135, USA

3Autism Research Institute, 4182 Adams Avenue, San Diego, CA 92116, USA

Estudo indexado PubMed, publicado em 16/02/2018

Este estudo avalia a importância das intervenções precoces, além de validar o questionário preenchido pelos próprios pais, periodicamente. Não só valida os resultados observados pelos pais, mas também considera uma ferramenta para redução no custo dos estudos clínicos, além de permitir estudos mais amplos com maior número de participantes.

Este estudo contemplou as respostas enviadas voluntariamente entre 2013 e 2017.

“A avaliação regular da dinâmica dos sintomas em crianças com Transtorno do Espectro do Autismo (TEA) participando de um ensaio clínico tem sido um desafio de longa data. Um obstáculo comum nesses esforços é a disponibilidade de técnicos treinados necessários para conduzir uma avaliação rigorosa e consistente das crianças em vários momentos [1,2]. A lista de verificação de avaliação do tratamento do autismo (ATEC) foi desenvolvida para fornecer um método gratuito e de fácil acesso para os cuidadores acompanharem as mudanças dos sintomas de TEA ao longo do tempo [3].”

O que é o ATEC?

ATEC é um questionário para ser respondido pelos pais, para que eles acompanhem as mudanças dentro da evolução dos sintomas apresentados pelas pessoas que tem TEA, tornando-a útil no rastreamento da eficácia de um tratamento.

Da mesma forma, para os pais, pode sinalizar se um determinado tratamento está apresentando resultados satisfatórios.

O ATEC é dividido em quatro partes:

(1) Fala / Linguagem / Comunicação,

(2) Sociabilidade,

(3) Sensibilidade Sensorial / Cognitiva e

(4) Saúde / Físico / Comportamento.

“Essas quatro subescalas são usadas para calcular um escore total que varia de 0 a 179. Um escore mais baixo indica sintomas menos graves de TEA e um escore mais alto se correlaciona com sintomas mais graves de TEA [3]. As subescalas fornecem aos pesquisadores as informações sobre áreas específicas de comportamento que podem mudar com o tempo.”(1)

Estudos que usaram o ATEC para medir os resultados

Vários estudos sobre os sintomas associados ao autismo usam o ATEC, para avaliação dos resultados, considerando o “alto nível de consistência interna” e “alta confiabilidade”. Conheça os estudos:

“Um estudo conduzido por Magiati et al. Avaliou a capacidade da ATEC de medir longitudinalmente as mudanças no desempenho dos participantes [7]. O estudo utilizou a ATEC para monitorar o progresso de 22 alunos em um período de cinco anos. O escore ATEC foi comparado com as métricas cognitivas, de linguagem e de comportamento específicas para a idade, como o Wechsler Preschool e Primary Scale of Intelligence. Os pesquisadores notaram o alto nível de consistência interna da ATEC, bem como uma relação altamente correlativa com outras avaliações padronizadas usadas para medir as mesmas capacidades em crianças com TEA [7].

Charman et al. utilizou a ATEC entre outras medidas no teste da viabilidade de questionários administrados pelo cuidador para rastrear mudanças longitudinais em crianças e observou efeitos diferenciais em subescalas de ATEC nos dados coletados, possivelmente impulsionados por subescalas focadas no desenvolvimento vs. focadas no sintoma [8].

Outro estudo que avaliou a capacidade de intervenção dietética para afetar os sintomas de TEA também utilizou a ATEC como medida primária [9], concluindo que ela tem “alta confiabilidade geral” associada a uma facilidade de acesso. Whitehouse et al.

ATEC usado como um desfecho primário para um estudo controlado randomizado de sua intervenção baseada em iPad para ASD chamado “Therapy Outcomes by You” (TOBY) [10]. Este ensaio foi realizado ao longo de um período de seis meses, com avaliações de resultados nos pontos de tempo de 3 meses e 6 meses. Embora o estudo não tenha demonstrado diferenças significativas nos escores do ATEC entre os grupos de teste, os pesquisadores reafirmaram seu uso do ATEC, observando sua “consistência interna e validade preditiva adequada” [10]. Estes estudos apoiam a viabilidade da ATEC como uma ferramenta para a medição longitudinal da gravidade da DEA, que pode ser um instrumento vital no acompanhamento das alterações dos sintomas durante um ensaio clínico.

O atual estudo observacional foi iniciado há quase duas décadas, quando um dos autores (Dr. Steven Edelson do Autism Research Institute) distribuiu o questionário ATEC para pais de crianças com ASD. Inicialmente, as avaliações da ATEC foram distribuídas como cópia impressa. Em 2013, a versão online do ATEC foi desenvolvida.”(2)

Aqui no Brasil, estamos colaborando com esta pesquisa, reunindo os dados e encaminhando para que novas pesquisas possam surgir e oferecer resultados comprovados de sua eficácia.

Se você desejar colaborar, segue o link de nosso questionário ATEC em português.

Link: https://goo.gl/forms/T7bWgbBUSmfETI272

Estamos encaminhando as respostas que coletamos para o Autism Research Institute, além de avaliar o desenvolvimento de nossas crianças com os tratamentos disponíveis no Brasil, em especial o programa de organização neurológica e as intervenções nas dietas.

Fonte: https://www.autism.com/ind_atec_report

(1) e (2): trechos do estudo.

Imagem: Pixabay / PIRO4D